segunda-feira, 20 de junho de 2011

Deuses e mais deuses...

Sou um fã, ou melhor, fanático por Marisa Monte. Uma das muitas músicas dela que gosto chama-se “Life gods”, parceria com Gilberto Gil. Sempre me pareceu que a musica era cantada numa língua africana, ate que ontem decidi “googlar” e surpreendi-me.  Afinal as palavras cantadas não são mais do que a palavra deus em 77 línguas e/ou diferentes deuses das varias mitologias. Vejam a quantidade de deuses que povoam o imaginário humano. Acho que vale a pena ver o vídeo abaixo,
 Tradução livre: blasfêmia, ganhar um bilhete para o inferno nunca tinha sido tão divertido...

sábado, 18 de junho de 2011

Seus fi**o da p**a

Logo que vi o título, Tribunal condena cao a morte por ser advogado reencarnado antes de ler a notícia, fiquei com náuseas. A superstição e seus derivados são a pior doença que castiga o ser humano nos dias de hoje, alias desde sempre. Vejam onde os levou o fanatismo? Ao invés de apedrejarem o cão, deviam apedrejar a vocês mesmos, seus medíocres. Já perderam a noção do ridículo, sobra o radicalismo oco, fanatismo serôdio e ignorância repugnante. MORRAM SEUS NOJENTOS.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Porquê debater com as Testemunhas de Jeová é inútil?

Devo admitir um certo grau de ingenuidade quando tive meu primeiro debate com duas testemunhas de Jeová, há alguns meses atras. 'Ingênuo', porque quando me perguntaram: "Você acredita em Deus?" Eu deveria ter trancado a porta e ignorá-los como qualquer pessoa sensata teria feito.
Em vez disso, eu fiquei na expectativa de ter um debate interessante sobre a existência de Deus. Lembro-me de a minha resposta: "Não" disse eu, enquanto pensava no que diria a seguir. "Na verdade eu sou um ateu convicto. Eu leio muitos livros e artigos de Richard Dawkins, Sam Harris, Dan Dennett e ... "Eu olhei e vi as expressões faciais indiferentes. Claramente, eles nunca tinham ouvido falar.


Honestamente, levou me quatro discussões bastante longas e 3 livros para perceber plenamente que estava a perder meu tempo com eles. Não importa quão lógicos meus argumentos eram e o monte de evidencia cientifica que eu apresentava, eles não estavam abertos a qualquer sugestão de que a Bíblia pode estar errada. Mas porquê estariam? A sua intenção é anunciar a Boa Nova, como eles chamam, a fim de converter pessoas a uma crença em Deus para salvá-los da destruição iminente que espera os incrédulos depois do Armageddon. É seguro afirmar que esses pontos de vista não são o resultado de uma avaliação das provas existentes para tais alegações.

A última conversa que tive com eles foi provavelmente a mais absurda. Era sobre a história da Arca de Noé, que eles acreditavam que era absolutamente verdadeira. Eu tentei apontar a improbabilidade extrema (!) que um homem de 600 anos construiu uma embarcação contendo vários milhões de espécies animais, a fim de salvá-los de uma inundação futura que iria cobrir os topos de todas as montanha da Terra. (E isso sem falar que tal pessoa viveu até os 900 anos de idade ... e que muitos dos animais são predadores naturais ... e que os animais de continentes desconhecidos a Noé teriam que nadar oceanos e caminhar continentes para chegar a Arca).
Nada fez qualquer diferença para a sua crença na verdade literal da Bíblia. Devo admitir que fiquei surpreendido ao encontrar-me a discutir a veracidade de tais histórias com adultos.


Em retrospectiva, agora percebo que perdi completamente meu tempo. Eu saí da minha rotina para ler os livros deles e debater, porque eu realmente queria ter uma idéia mais clara dos seus pontos de vista. Claro, eu não penso que eu iria me converter em crente, mas pelo menos eu queria entender mais sobre as crenças das pessoas que eu estava debatendo com.
Será que eles tentaram fazer o mesmo? Não. Em nenhum momento eles mostraram qualquer interesse genuíno na literatura que citei ou os tópicos que levantei - muitos dos quais tiveram um impacto directo sobre a validade de suas crenças.

A próxima vez que eles vierem, eu estarei muito ocupado a ler um livro ou ver TV e não poderei abrir a porta.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

O Caso de Francis Collins



Francis Collins é uma daquelas raras pessoas que é excepcionalmente brilhante e excepcionalmente estúpida em iguais medidas. Não só ele é um geneticista altamente respeitado - mais conhecido por suas descobertas de genes responsáveis por doenças e por ter dirigido o Projecto Genoma Humano - mas ele também é um cristão evangélico.

Mas suas excentricidades não param por aí. Ele também é um adversário ferrenho do criacionismo. Ele acha que o teísmo e evolução são compatíveis. E que tanto "a fé e como a ciência podem levar-nos a verdade sobre Deus e a criação".

Para mim, ele quer manter uma visão do mundo que acomoda tanto seu currículo científico e suas crenças religiosas, e depois fingir que não existe conflito.

Basta ler alguns dos comentários feitos por ele em um debate com Richard Dawkins na revista Time, em 2006. A ginástica intelectual que ele tem de fazer para sustentar esses pontos de vista conflituantes é de tirar o fôlego.

Collins sobre quando e como Deus começou a evolução:
COLLINS: "Por estar fora da natureza, Deus também está fora do espaço e do tempo. Assim, no momento da criação do universo, Deus também poderia ter activado a evolução, com pleno conhecimento de como ela ia suceder, talvez até incluindo esta nossa conversa. A idéia de que ele poderia prever o futuro e também dar-nos espírito e vontade de realizar nossos próprios desejos torna-se totalmente aceitável. "

 
"Perfeitamente aceitável"? Isso não faz sentido. Se Deus já havia determinado o futuro, no momento da criação, então, por definição, todos nós estamos vivendo vidas predeterminadas, com resultados inevitáveis. Sob essa teoria, a vontade própria ou livre arbítrio do ser humano seria simplesmente uma ilusão.

Uma outra questao seria porquê Deus, na sua infinita sabedoria, poder e amor, iria escolher um processo tão lento e destrutivo como a evolução para trazer a vida. Teríamos de supor que Deus sentou-se com os braços cruzados por cerca de 10 bilhões de anos antes que a vida finalmente começasse e depois esperou por mais 4000000000 anos até que os seres humanos começassem a evoluir.

Collins parece desconcertantemente perturbado por essas questões.

Collins sobre a falta de provas da existência de Deus na evolução:
COLLINS: …não acho que seja o propósito de Deus mostrar a sua intenção absolutamente óbvia para nós. Se lhe convier ser uma divindade que devemos procurar, sem ser forçados, não teria sido sensato para ele usar o mecanismo de evolução, sem indicações óbvias para revelar seu papel na criação?

Muito conveniente. Assim, a falta de provas da existência de Deus é apenas uma parte de seu plano. Se este argumento for levado à sua conclusão lógica, teríamos de argumentar que uma completa ausência de provas para Deus é simplesmente a prova de que ele é muito mais inteligente em esconder a sua existência do que pensávamos.

 
Collins responde à pergunta: "Se Deus criou o mundo, quem criou Deus?"
COLLINS: Meu Deus, não é improvável para mim. Ele não tem necessidade de uma história da criação para si próprio.

Isso é simplesmente muito fácil não é? Certamente Collins ainda não pode fingir que esta é uma resposta adequada de como um Deus infinitamente inteligente e poderoso poderia ter existido no início da criação. Porquê crentes como Collins não sao honestos e admitem que não sabem? O que é tão assustadora quanto a dizer "não sei"? Cientistas fazem isso o tempo todo.
A diferença entre cientistas e religiosos, porém, é que os cientistas usam as lacunas em nosso conhecimento como base para futuras pesquisas. Os religiosos não. Ao invés de tentar aumentar a nossa compreensao, preferem permanecer no conforto da sua certeza infantilmente equivocada e preencher um mistério com outro, afirmando: "Deus fez isso. Mistério resolvido ".

As respostas de Collins mostram todos os sinais de alguém que tenta - e falha espectacularmente - encontrar uma maneira de conectar seu conhecimento científico com suas crenças religiosas. Ele pode ser um cientista brilhante, mas dizer que ele está equivocado seria dar-lhe crédito em demasia.

domingo, 5 de junho de 2011

O inimaginável

Preconceito é uma coisa muito má, mas tristemente assistimos impotentes ao emburrecimento da nossa espécie. O video abaixo é um embaraço, um insulto aos milhares de anos de esforços neurónicos para o progresso conjunto do Homo sapiens. É preciso criminalizar esses absurdos.
Um pastor mata o diabo com "tiro", de uma pistola e bala invisíveis…veja:

video

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Ateu militante



De acordo com o uso comum do termo ateismo militante, eu sou um "ateu militante". Aqui está o porquê:

• Falo publicamente sobre a minha visão crítica da religião e crença espiritual.

• Mantenho um blog ateu.

• Participo em discussões teístas e debato sobre Teologia.

• Apoio veementemente a separação entre igreja e estado.

• Gosto de ciência.

• Uso o sarcasmo e zombaria para ilustrar o quão certas coisas são ridículas.

• A coisa mais violenta que fiz em nome da minha descrença é alegremente lançar uma Bíblia para o lixo.

Porquê eu deveria ficar quieto, simplesmente porque me falta fé em criaturas mitológicas? Porquê as pessoas religiosas podem expressar em alto e bom som os pontos de vista evangelístico e nós não podemos expressar os nossos pensamentos?

A palavra "militante" não deve ser atribuída a alguém como eu, que na pior das hipóteses expressa suas opiniões em voz alta e ridiculariza o irracional.

Um militante cristão rebenta com clínicas de aborto, um militante muçulmano sequestra aviões, um ateu militante argumenta com as pessoas.