domingo, 29 de novembro de 2009

Culto da morte




Passam 31 anos depois do maior e mais famoso suicidio colectivo de que há memória na história da humanidade, ocorrido nos EUA de novo!!. No dia 18 de novembro de 1978, 917 fiéis da seita “templo do povo” ingeriram suco envenenado, tudo sob o commando do seu lider religioso Jim Jones (foto acima). Nesse fatídico dia morreram bebês, crianças, mães e pais (fotos no fim do post). Infelizmente esse tipo de coisa ainda acontece nos dias de hoje, a alguns anos (acho que no ano 2000) no Uganda, na aldeia de Kanungu o ritual repetiu-se, mas não pela ingestão de suco envenenado, mas pelo fogo. Este tipo de coisa desafia todas as convenções de racionalidade da vida moderna.


De um lado, revela-se que o homem, apesar dos avanços tecnológicos, continua refém dos misticismos religiosos e, de outro, que a idéia de salvação ainda constitui o elixir de todas as religiões, seitas e movimentos messiânicos pelo mundo fora, independentemente de condições sócio-econômicas ou políticas.

Em África ou no Japão, na Suíça ou nos Estados Unidos, líderes são capazes de conduzir pessoas à imolação, em cerimônias individuais ou coletivas, sob as justificativas mais irracionais e contraditórias. Não deixa de intrigar ainda, que, apesar dos milênios de cultura, o homem continue frágil e vulnerável diante dos sonhos e fantasias de um mundo melhor para além da vida terrena.





quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A cor negra e a maldição de Deus

Eu fico impressionado com a quantidade de patifes indivíduos que alegam ser mensageiros do Deus…é compreensível (todos temos alucinações de quando em vez).  Hoje vou me concentrar em um deles, Joseph Smith. Este senhor fundou em 1830 a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons), depois de passar algumas semanas isolado na selva (devia estar a fumar e beber qualquer coisa não recomendável). Ele afirmou ter recebido algumas revelações de anjos, e por intermédio de um "enviado de Deus" o local exacto onde encontraria um livro escrito em placas de ouro, que contava a história dos primeiros habitantes americanos. As placas "tiveram de ser devolvidas a Deus" (conveniente né?), mas sua tradução resultou no conto de fábulas Livro dos Mórmons. Entre tantas outras baboseiras coisas escritas e faladas o que verdadeiramente me irrita é isto:


E disse-me o anjo: eis que estes "degenerarão", caindo na incredulidade. E aconteceu que vi que depois de haverem degenerado, caindo na incredulidade, tornaram-se um povo escuro, sujo e repulsivo, cheio de preguiça e todo tipo de abominações- Primeiro livro de Néfi 12: 22 e 23.


E ele fez cair a maldição sobre eles, sim, uma dolorosa maldição, por causa da sua iniqüidade. Pois eis que haviam endurecido o coração contra ele de tal modo que se tornaram como uma pedra; e como eram brancos, notavelmente formosos e agradáveis, a fim de que não fossem atraentes para meu povo o Senhor Deus fez com que sua pele se tornasse escura. E assim diz o Senhor Deus: Eu farei com que sejam repugnantes a teu povo, a menos que se arrependam de suas iniqüidades. E amaldiçoada será a semente que se misturar com a semente deles; porque será amaldiçoada com igual maldição. E o Senhor assim disse e assim foi. Segundo livro de Néfi 5:21-25


Está tudo lá, no livro dos mórmons. Vá conferir se não acredita!Tem mais:
"Se eu tivesse algo a ver com o negro, eu os manteria limitados à sua própria espécie por lei rigorosa, e eu os colocaria num plano nacional de igualdade”Joseph Smith


"Você vê alguns grupos da família humana são negros, desajeitados, feios, desagradáveis e baixos em seus costumes, selvagens e aparentemente sem a benção da inteligência que é normalmente dada à humanidade. O primeiro homem que cometeu o odioso crime de matar um de seus irmãos foi amaldiçoado por mais tempo do que qualquer outro filho de Adão. Caim matou seu irmão. Caim poderia ter sido morto e isto teria findado aquela linhagem de seres humanos. Mas não era para ser assim, e o Senhor pôs uma marca nele, que é o nariz chato e a pele negra. Siga a história da humanidade até após o dilúvio e ali uma nova maldição é lançada sobre a mesma raça-eles seriam os servos dos servos. Journal of Discourses, volume 7, páginas 290-291


Mas agora, são estes mesmo mórmons que agora invadiram ÁFRICA; e Moçambique não é excepção. Porquê tanta hipocrisia? Será que vieram para nos “salvar da maldição”? Por acreditar que estamos “possuídos” por algum tipo de demónio? Uma certeza: não é dinheiro, porque isso eles têm que baste. Mas o mais intrigante nessa história somos nós africanos, os “envagelizados” que acreditamos que o Joseph Smith era mesmo um profeta e foi guiado por Deus e disseminamos a "palavra de Deus", que diz nós somos uma maldição.  Nós não lemos esses livros sagrados com a atenção que deveriamos e não fazemos as perguntas que se esperam de nós como “seres pensantes”. Acreditamos em tudo que nos dizem sem nunca questionar, nunca vamos ao fundo das coisas e deixamo-nos “amolecer” por menininhos americanos loiros e de olhos azuis que vêm dos EUA para “salvar nossa alma”.

Será que as pessoas são realmente cegas ou fingem que o são? Isto só mostra o quão vulneráveis e manipuláveis somos. Põe a nú como o nosso progresso intelectual e análise crítica podem ser perturbados, deturpados e completamente desligados  por convicções religiosas.
Basta!

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Deixem-me crescer e escolher por mim própria!

A Associação Humanista Britânica promove nesta semana a divulgação pública de cartazes em cartazes em quatro cidades no Reino Unido: Londres, Edimburgo, Cardiff e Belfast. Esta é a última fase da “Atheist Billboard Campaign”, que começou com os já célebres Autocarros ateistas.


Os cartazes vão mostrar algumas das categorias que servem para classificar as crianças, tais como “muçulmana”, “protestante”, “católica”, “hindu”, juntamente com outras denominações que o bom senso nunca aplicaria em crianças: “marxista”, “anarquista”, “socialista”, etc.

O slogan dirá “Por favor, não me classifiquem. Deixem-me crescer e escolher por mim própria!”


Os cartazes foram ser desvendados no próximo dia 20 e a data não foi escolhida por acaso. O dia 20 de Novembro foi escolhido pelas Nações Unidas como o dia para “a fraternidade mundial e a compreensão entre crianças”. Segundo a organização da Campanha, classificar crianças como pertencendo a uma religião particular, vincando incompatibilidade de crenças com outras crianças que “pertençam” a outras religiões, só pode servir como um obstáculo entre as crianças do mundo.

A ideia é mostrar que aplicar etiquetas religiosas em crianças de tenra idade faz tanto sentido como apelidar uma criança de comunista. As crianças devem crescer o suficiente de modo a compreender aquilo que as poderá caracterizar no futuro e terem, igualmente, a opção de escolher aquilo em que acreditam.

Abaixo a doutrinação e lavagem cerebral!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Pilares da Criação



A astronomia é certamente uma das áreas científicas menos pesquisadas pelo cidadão comum, mas nem por isso deixa de ser uma das mais fascinantes fontes de conhecimento. Para muitos é impossível pensar que tudo começou com um “simples” Big Bang, mas a verdade é que tudo aponta nessa direcção (doa a quem doer).
A foto  acima não é nenhuma montagem ou pintura de arte, é outra das mais famosas obras primas do Telescópio Espacial Hubble e representa uma parte da nebulosa Águia. As nebulosas são nuvens de poeira, hidrogênio e plasma onde frequentemente ocorre a formação de estrelas. As estrelas nascem, vivem e morrem. Elas se formam devido à contração de imensas nuvens de gás e poeira que existem nas galáxias. Actualmente, há fortes evidências a favor da teoria de que nesse processo, concomitantemente à formação da estrelas, forma-se todo um sistema planetário em torno. Teria sido assim como surgiu o sistema solar, a 4,5 bilhões de anos.
Na foto acima a nebula da Águia apresenta uma torre de gases e poeiras com aproximadamente 9,5 anos-luz onde se observa o nascimento de várias e cintilantes novas estrelas.
Talvez deva lembrar aos mais distraídos que o nosso sol também é uma estrela e foi formado da mesma maneira a 4 biliões de anos, portanto, que não me venham com aquela fábula conversa do Génesis “A terra estava informe e vazia; as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. Deus disse: Faça-se a luz! E a luz foi feita”.





domingo, 15 de novembro de 2009

Reflectindo sobre a teoria da evolucão (2)

Num dos posts passados (clique aqui para ler a parte 1) fiz uma breve introdução sobre alguns desafios enfrentados pela teoria da evolução actualmente. De hoje em diante vou fazer uma análise resumida de alguns factos tidos como evidências da evolução.
1. O registro fóssil- em geologia existe o principio da sobreposição que diz que “a acumulação dos sedimentos, em qualquer ambiente sedimentar, origina uma sequência de camadas ou estratos, em que as camadas mais antigas são cobertas pelas mais recentes” (figura 1). Este princípio é fundamental para a interpretação da história da terra, porque em qualquer parte do planeta terra indica as idades relativas das camadas das rochas sedimentares e dos fósseis nelas contidos.

Ao se estudar o número e complexidade de fósseis contidos nos diferentes estratos/camadas geológicos, observa-se que nos estratos mais antigos encontram-se poucos fósseis, que contém estrutura simples, enquanto que as rochas mais recentes contêm uma grande variedade de fósseis, freqüentemente com um aumento na complexidade de suas estruturas. Estas observações levaram a conclusão de que com o passar do tempo os organismos foram aumentando progressivamente a sua complexidade. Por exemplo, comparando o mais antigo fóssil de cavalo e os fósseis subsequentes (de estratos geológicos mais recentes), observa-se o surgimento de novas estruturas e o desaparecimento de outras, aumento do tamanho corporal e outras modificações morfológicas (desde atrofia óssea a modificações na formúla dental) até o cavalo de hoje, que anda apenas sobre 1 dedo (incrível não é?). Desse modo, cada “novo” fóssil apresenta sempre um nível de especialização ou complexidade maior quando comparado com o anterior (clique aqui para ler sobre a evolucao do cavalo, RECOMENDO)
Pelo do registro fóssil, muitas espécies que aparecem em um estrato antigo, desaparecem em níveis posteriores. Isso é interpretado em termos evolucionários como a indicação do tempo em que uma espécie se originou e tornou-se extinta.

2. Estruturas homologas-sao estruturas que apresentam um plano estrutural básico semelhante, ou seja, a forma destas estruturas é muito semelhante (exemplo: um braço de um humano, nadadeira de uma baleia e a asa de uma ave).
Pelo facto de as diferentes espécies terem sido sujeitas a pressões selectivas (conjunto de factores que condicionam a vida dos indivíduos e que os obrigam a evoluir em determinada direcção) diferentes, adaptaram os seus membros a àquilo a que eles eram mais necessários no ambiente em que determinada espécie se encontrava.

3.  Órgãos vestigiais-são estruturas que se apresentam bastante desenvolvidas em algumas espécies, mas que, devido ao desuso e, portanto, à falta de necessidade noutras espécies, se atrofiam, não se desenvolve ou desenvolvem-se pouco.
Exemplos:
-Apêndice em seres humanos- este órgão é muito desenvolvido em animais que ingerem muita celulose (abundante em plantas verdes) pois a sua função é a degradação desta - e pouco desenvolvido naqueles que a não ingerem ou ingerem em poucas quantidades  (por exemplo o homem)

-O cóccix- (fig 2) é um osso formado por 4 vértebras caudais fusionadas (como podem concluir, apesar de não ser visivel uma cauda em humanos, as vértebras caudais estão lá). O cóccix deve ser o remanescente do que pode ter sido uma cauda. Se houver alguma dúvida que o cóccix representa a cauda e não outra coisa, a resposta está no estudo do desenvolvimento do embrião humano, que nas primeiras fases de gestação desenvolve uma diminuta, mas bem distinta região caudal que desaparece por volta da oitava semana de gestação.

-Na baleia (figura 2) existem pequenos membros posteriores imersos no tecido (não visíveis) constituídos por um femur que articula-se a pelvis (tal como em humanos).

-Remanescente de membros posteriores em cobras (fig 1).

Clique na imagem para ver em tamanho grande!



-Olhos vestigiais (figura 3) dos peixes Astyanax mexicanus- estes peixes vivem em alguns rios do México e EUA. As populações que vivem à superfície possuem olhos grandes, enquanto as populações de um grande número de grutas são cegas (não necessitam de usar os olhos uma vez que não há luz) e com vários graus de despigmentação (albinas). Estudos demonstraram que os peixes cegos, quando expostos a superfície (presença de luz) voltam a desenvolver olhos funcionais depois de várias gerações!!




Continua...

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Castidade e celibato



"É bom para um homem não ter relações sexuais com uma mulher." Apôstolo Paulo

Concordam? Isso não interessa. Vi no noticiário da BBC ontem que um padre nos EUA teve um filho a 22 anos atrás e fez um acordo com a mãe do miúdo para manter segredo. Só que o rapaz está com cancro e a beira da morte e a mãe decidiu “vazar” a história. Isso também não interessa. Eu não entendo de castidade e celibato na igreja católica, mas definitivamente não está a funcionar muito bem. Todos os dias vemos casos novos de pedofilia (até em surdos-mudos, incrivel!!), fazendo filhos em segredo, tendo casos com crentes...e.t.c.

Do ponto de vista da moral do cristianismo nas suas distintas denominações, a castidade é a virtude que governa e modera o desejo do prazer sexual, segundo os princípios da fé e da razão e recebe também a denominação de Santa Pureza (Wikipédia).Esse conceito de que o sexo é uma coisa suja não é de agora no cristianismo, vem desde a concepção e parto virginal. Ofensas a castidade inclui a luxúria (busca desordenada de prazer vénereo), fornicação (adultério e relações sexuais pré-matrimoniais), homosexualidade, incesto, pornografia, violação e masturbação.

A “demonização” do sexo e a hipocrisia do vaticano é o que mais me irrita nessa história toda. Será que não é hora da igreja começar a preocupar-se seriamente com a pedofilia dos padres? Não deveria o vaticano repensar na obrigatoriedade do celibato? Agora é uma certeza que essas histórias que vêm ao público não são casos isolados, mas sim uma epidemia disseminada entre padres. Pior é a inércia com que são tratados esses malandros: são transferidos para outras paróquias (assim continuam com o serviço) ou a igreja tenta "abafar" o caso a todo o custo.

A igreja nega culpa em casos de pedofilia e diz que estes estão relacionados à patologia do padre. Mas o celibato impede o homem de uma prática inerente à sua natureza, que é o sexo. Manter, obrigatoriamente, alguém assexuado, é violar seus anseios naturais, o que pode levar a distúrbios mentais. Portanto, o celibato é um campo fértil para o desenvolvimento das referidadas patologias. Lógico.

A sociedade mudou bastante desde que a biblía foi escrita. É importante que a Igreja se adapte aos tempos modernos e tome coragem de fazer o que está certo.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Reflectindo sobre a teoria da evolucão (1)

Evolução é o processo através no qual ocorrem as mudanças ou transformações nos seres vivos ao longo do tempo, dando origem a espécies novas (wikipedia). A teoria da evolução das espécies, inicialmente proposta por Charles Darwin a 150 anos, atrás é certamente uma das mais polêmicas teorias científicas nos dias de hoje.

Infelizmente, apesar de todas as evidências que suportam a teoria da evolução, grande parte das pessoas é relutante em aceita-lá, quer por ignorância dos factos, por não entender a teoria em si ou ainda por motivos religiosos. Antes de mais é importante saber que uma teoria científica é uma interpretação lógica de factos observados. Até que uma teoria melhor não apareça as teorias existentes serão aceites para explicar determinados fenómenos. Em ciência nada é irrefutável, as teorias são continuamente corrigidas, actualizadas ou por fim completamente rejeitadas anos depois da proposta inicial. A teoria da evolução sobrevive aos avanços científicos a 150 anos. Muitas teorias caíram, mas nenhum facto novo conseguiu ainda refutar a teoria de Darwin. Claro que a teoria não é perfeita, tem lacunas (e muitas) mas ainda é a melhor explicação para a diversidade da vida na terra.

Actualmente existe uma corrente religiosa extremamente “anti-evolução”, que entre outras coisas luta para abolir o ensino da evolução nas escolas e introduzir a teoria do (DI) design inteligente (criacionismo biblíco travestido de pseudo-ciência). Isto ASSUSTA-ME, não como ateu mas como alguém que vive e convive com ciência. Desta vez não é a igreja católica (o papa Bento aceita a teoria da evolução, mas diz que deus criou as condições para tal acontecer) mas sim as igrejas protestantes (principalmente nos EUA, para não variar). Estas instituições religiosas usam uma salada de argumentos pseudo-científicos para defender o DI-criacionismo biblíco. Até aí tudo bem, mas o problema tentarem defender o criacionismo biblíco com ciência e trata-lo como uma teoria científica. Mas hoje não estou para debater isso mas sim a teoria da evolução.

A ideia que o cidadão comum tem da teoria da evolução é de que “o homem veio do macaco”. Erro típico (confesso que eu pensava assim), mas vamos por partes.

Um dos pressupostos da actual teoria da evolução, é de que todos os organismos descendem de um único ancestral comum, surgido a mais de 3 biliões de anos. Apartir daí, mecanismos como mutações genéticas, deriva genética e a selecção natural provocaram a acumulação de diferenças ao longo de gerações e emergência de novas espécies, duma forma muito gradual. Por isso, quanto maior a similaridade entre duas espécies, mais recentemente elas divergiram de seu respectivo ancestral comum. Assim sendo, por exemplo o homem e os restantes primatas evoluiram separadamente mas apartir de um ancestral comum. Macaco é macaco e homem é homem (figura). Outro exemplo de espécies que descendem de um ancestral comum são os cavalos, burros e zebras. Ainda outro exemplo: cães, chacais, lobos. Enfim, são muitos exemplos.


Mas quais são os factos por trás dessa teoria? Vou tentar, nos próximos posts, de uma maneira resumida explorar e entender os fundamentos e factos por trás da teoria da evolução.

domingo, 8 de novembro de 2009

Tentem não rir!

Este video foi feito num restaurante italiano em Dubai. Como comer macarronada de burca. Bizarro, não consegui ver mais de uma vez.

sábado, 7 de novembro de 2009

Fundamentalismo religioso, de novo!

Aí está! O militar norte-americano que matou 13 colegas seus (ver noticia aqui) no EUA disse poucos segundo antes de abrir fogo: “Allahu Akbar” (Alá é Grande). Aparentemente este jovem tinha sido destacado para o Iraque e estava revoltado porque não queria combater contra outros muçulmanos. Digam-me lá, cabe isto na cabeça de alguém? Não entendo, mas e então ele não ia combater terrorristas? Eu não vejo nenhum problema nisso. Imaginem se agora deixamos de perseguir criminosos porque são ateus, cristãos e e.t.c. Então, para nao combater terrorristas,este companheiro preferiu chacinar seus colegas e patriotas não muçulmanos e já tem garantidos umas tantas mulheres virgens no céu. A vida é realmente injusta.
Bem, confesso que andava atrás de uma desculpa para descarregar algumas “bocas” (Desta vez serei politicamente muito incorrecto, desculpem). Não tenho nada contra os muçulmanos mas que eles são arrogantes e extremistas isso são. No país deles segues as regras deles. No teu país tens que seguir as regras deles, caso contrário é descriminação. Desde crianças os muçulmanos aprendem que todos os outros crentes das diferentes crenças religiosas são infiéis. Desde cedo aprendem sobre o "auto-sacrifício na batalha contra os infiéis". São ensinados a obedecer incondicionalmente à religião islâmica e a assumir compromissos "com seus líderes políticos e espirituais”.

O que podemos esperar desta doutrinação? O resultado já toda a gente conhece. Pequenos exemplos abaixo.

A foto abaixo é uma vergonha, mostra o quão animalesco e sem escrúpulos um ser humano pode ser: retrata um evento de gala ocorreu em Gaza, na Palestina. O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais. A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos; a maioria das noivas tinham menos de dez anos (ISSO MESMO, 10 anos de idade). NOJENTO. Grandes dignatários muçulmanos, incluindo Mahmud Zahar, um líder do Hamas foram pessoalmente cumprimentar os casais que fizeram parte desta cerimônia tão cuidadosamente planejada.

"Nós estamos felizes em dizer a América que vocês não podem nos negar alegria e felicidade", Disse Zahar aos noivos (o que tem esta gente na cabeça? Ou melhor, sera que têm algo na cabeça?). Sim vejam a cara de felicidade dos noivos.

Na França a alguns meses uma muçulmana queria nadar numa piscina pública com a roupa do corpo. Que é essa merda isso? Mas havia lá um aviso em como as pessoas devem estar propriamente trajadas. Antes até porque é uma questão de alegrar os olhos higiene . Depois dizem que é descriminação!!Porra meu!

Todas essas bizarrices baseadas no alcorão! Dá para acreditar nisso? Mas fé é assim mesmo, cega e sufoca a razão. Eles não fazem por mal, acreditam genuinamente que estão a fazer a vontade de Allah. Assim como o fazem extremistas cristãos no EUA, matam porque acreditam plenamente que Deus está do lado deles. Quem sabe…

É preciso não tolerar certo tipo de comportamentos para não perdemos valores sociais e liberdade que foi conquistada com muito suor e sangue. Cada sociedade tem suas regras e todos têm de respeita-las. Isto serve para as outras religiões também.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Conceitos importantes

Mais uma vez, para alguns crentes que misturam os conceitos, aqui vai: Ateismo não é evolução. Evolução também não é ateísmo. Origem da vida (abiogênese) não é evolução e nem ateísmo. Por favor, ATEÍSMO significa não acreditar em NENHUM DEUS e nada mais. Ateísmo não é nenhum tipo de ideologia, filosofia, ciência, partido politico, empresa religiosa lda, organização anti-religiosa, fonte de rendimento ou raios que o parta. SIMPLESMENTE AUSÊNCIA DE CRENÇA EM DEUS.



quinta-feira, 5 de novembro de 2009

A foto do século



Para variar um pouco (e porque aqui não é só polémica), hoje decide escrever um pouco sobre ciência, mais concretamente astronomia. É uma das áreas científicas que mais me tem fascinado nos últimos tempos. A foto acima parece insignificante demais para ser a foto do século, mas não é uma foto qualquer. Ela mudou completamente nossa visão sobre os cosmos.
A foto (Clique aqui para ver em tamanho grande) é apenas uma de 750 000 fotos tiradas pelo telescópio espacial Hubble. Esta maravilha que é o Hubble está em uma órbita baixa, a 600 km da superfície da Terra (Girando em torno da Terra a 28.163 quilômetros por hora), e gasta apenas 95 minutos para dar uma volta completa em torno de nosso planeta.
A primeira vista a imagem acima se parece com uma montagem, onde se vê diversas galaxias, estrelas e objetos distantes. Mas a cena é bem mais que isso. Ela retrata uma pequena região na constelação Fornax e é a mais profunda imagem do Universo jamais visto no espectro visível. A cena contém aproximadamente 10 mil galáxias vistas em um espaço de apenas um décimo daquele ocupado pela Lua Cheia.
A cena levou quatro meses para ser feita, entre setembro de 2003 e janeiro de 2004, e mostra objetos localizados há mais de 13 bilhões de anos-luz (se viajassemos a velocidade da luz chegariamos a esses objectos/estrelas em 13 bilhões de anos). O objeto mais tênue registrado na imagem tem menos de 4 bilionésimos do brilho que podemos ver com nossos olhos e representam as primeiras estrelas criadas no Universo.
Algumas dimensões:

  • Ano-luz é a distância percorrida pela luz em 1 ano


  • 1 ano-luz =10 trilhões de km (Bizarro!!!, agora façam as contas)

  • A velocidade da luz no vácuo é de 299792,458 quilômetros por segundo (km/s).

  • O nosso sistema solar está localizado na galaxia via lactea que (contém ainda  mais 6 biliões de sistema planetários como o nosso). Além da galáxia via láctea existem outras tantas biliões de galaxias. A foto acima é de apenas uma minuscule parte do universo.

    Em jeito de conclusão: A probabilidade de existir vida em outros planetas/galáxias é grande. Se apenas existe vida no planeta terra então o universo é um enorme desperdício de espaço.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Crucifixos em escolas públicas viola direitos humanos

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos considerou válida a queixa que uma cidadã italiana apresentou, pedindo a retirada de crucifixos da escola pública frequentada pelos seus filhos, por considerar que «a exibição de um crucifixo nas salas de aula era contrária ao princípio da secularidade em que pretendia educá-los.»

«O parecer [do Tribunal] conclui pela existência de uma violação do artigo 02 do protocolo 01 (direito à instrução) e do artigo 09 (liberdade de pensamento, de consciência e de religião) da Convenção Europeia dos Direitos Humanos.»

Para o governo italiano a «decisão do Tribunal é “ideológica”» e já anunciou que vai recorrer da mesma.

«”Ninguém, e ainda menos um tribunal europeu ideológico, conseguirá suprimir a nossa identidade. Além disso, a nossa Constituição reconhece um valor particular à religião católica”» afirmou a ministra da educação italiana.

Vale a pena ler e voltar a ler as razões que levaram o Tribunal Europeu a tomar esta decisão. E reflectir sobre o papel excepcional que a Igreja católica, ou qualquer outra religião maioritária ou tradicional tem em Estados seculares:

«O tribunal de Estrasburgo considerou que “a exibição obrigatória do símbolo de uma determinada confissão em instalações utilizadas pelas autoridades públicas e especialmente em aulas” restringe os direitos paternos de educarem os seus filhos “em conformidade com as suas convicções”.

“O Estado deve abster-se de impor crenças em lugares que as pessoas são obrigadas a frequentar. Em concreto, deve observar uma neutralidade confessional no contexto da educação pública“, precisa o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos sobre o caso Lautsi contra Estado italiano.»

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Religião como fenómeno natural

Hoje decide fazer um “copy and paste” de um trecho do livro best-seller do filósofo e ateu Americano Dan Dennet: “Quebrando o encanto, religião como fenómeno natural”. Acho que é um trecho interessante de ler, do ponto de vista biológico e antropológico.

Quebrando o encanto:Religião como fenómeno natural(1)
E ele lhes falou muitas coisas em parábolas, dizendo: olhai, um semeador foi semear, e quando ele semeou, algumas sementes caíram à beira da estrada e as aves vieram e as devoraram. [Mateus 13, 3-4]
Se a “sobrevivência do mais apto” tiver qualquer valor como slogan, então a Bíblia parece ser um bom candidato para o prêmio de texto mais apto.[Hugh Pyper, O texto egoísta: a Bíblia e a memética]


Observe uma formiga em um prado, laboriosamente subindo por uma folha de capim, cada vez mais alto, até que cai, depois sobe outra vez, e mais outra, como Sísifo rolando sua pedra, sempre tentando chegar ao
topo. Por que ela faz isso? Que benefício estará buscando para si própria nessa estranha e extenuante actividade? A pergunta é que está errada. Não há benefícios biológicos para a formiga. Ela não tenta obter uma visão melhor do território, nem procura comida ou se exibe para um parceiro em potencial, por exemplo. Seu cérebro foi dominado por um parasita minúsculo, Dicrocelium dendriticum, que precisa entrar no estômago de um carneiro ou de uma vaca para completar seu ciclo reprodutivo.

Esse pequeno verme cerebral dirige a formiga a uma situação que beneficie sua progênie, e não a da formiga. Esse não é um fenômeno isolado. Do mesmo modo, parasitas manipuladores infectam peixes e camundongos, entre outras espécies. Esses caronas fazem com que seus hospedeiros se comportem de modos bizarros — até mesmo suicidas — para benefício do parasita, não do hospedeiro.

Será que com os seres humanos acontece alguma coisa parecida? Acontece sim. Com grande freqüência encontramos seres humanos que deixam de lado seus interesses pessoais, sua saúde, suas oportunidades de terem filhos e dedicam a vida inteira a promover uma idéia que se fixou em seus cérebros. A palavra árabe islam significa “submissão”, e todo bom maometano dá testemunho disso, reza cinco vezes por dia, dá esmolas, jejua durante o Ramadã e tenta fazer a peregrinação ou hajj a Meca, tudo em nome da idéia de Alá e de Maomé, o mensageiro de Alá. Cristãos e judeus fazem coisa parecida, é claro, devotando a vida a disseminar a Palavra, fazendo sacrifícios enormes, sofrendo bravamente, arriscando a vida por uma idéia. Os sikhs, os hindus e os budistas fazem o mesmo. E não nos esqueçamos dos muitos milhares de humanistas seculares que deram a vida pela Democracia, pela Justiça ou pela simples Verdade.

Há muitas idéias pelas quais se pode morrer. Nossa possibilidade de dedicar nossa vida a algo que consideramos mais importante que nosso bem-estar pessoal — ou nosso próprio imperativo biológico de ter filhos — é um dos aspectos que nos diferenciam do resto do mundo animal. Uma mãe ursa defenderá bravamente um espaço que tenha alimentos e defenderá com ferocidade sua cria, ou até sua toca vazia. Provavelmente, contudo, já morreu mais gente na brava tentativa de proteger locais e textos sagrados do que na tentativa de proteger reservas de alimentos para seus filhos e suas casas. Como outros animais, temos desejos inatos de nos reproduzir e de fazermos o que for necessário para atingir essa meta, mas também temos crenças e a capacidade de transcender nossos imperativos genéticos. Esse fato nos torna diferentes, mas é em si mesmo um fato biológico, evidente para a ciência natural, e algo que exige uma explicação da ciência natural. Como apenas uma espécie, o Homo sapiens, veio a ter essas perspectivas extraordinárias quanto à sua própria vida?...

Dan Dennett

Continua...